quarta-feira, 23 de março de 2011

Fuga

Ouço passos acompanhados de gritos e sangue.
Mas não há dor...
Vejo sombras acompanhadas de decepção
E não há dor.
A única dor que existe, é a do olhar desesperado do garoto covarde, da redenção inexpressiva de um estúpido, dele, do hipócrita.
Hipócrita, covarde. As únicas coisas que eu odiaria ser
E atuo tão bem, sem disfarçar, nesses papéis.
A dor é de não conseguir expressar os sentimentos, da inutilidade de tentar tirar meus pensamentos da mente, da tentativa frustrada de expor em palavras;
A minha expressão se esvai.
E a impressão de que me falta voz, e de que não escuto mais nada, fica.
Apenas vejo,
Vejo lábios sussurrarem gritos, acompanhados de sangue.
Mas não há dor. Nunca há dor.
Porque se houvesse, já teria me livrado de todo esse sofrimento.
A  dor, leitor, é minha fuga.

quarta-feira, 16 de março de 2011

quarta-feira, 9 de março de 2011

Desejo

-Hoje é um dia que que qualquer falha será admitida;
qualquer erro erá perdoado;
qualquer defeito será imperceptivel.
-Esse, é um momento em que eu quero aproveitar,
um momento em que ódios se tornarão passado;
raivas se tornarão lembranças;
e lágrimas se tornarão lições.
-Agora, você se torna meu presente
você se torna minha realidade.
-Gostaria que voce soubesse, apenas que:
Eu até posso te fazer sorrir
te fazer chorar,
mas que fique claro q não posso interferir em seus sonhos
eu posso, no maximo, fazer parte deles.
-Gostaria que voce soubesse que...
eu tenho um desejo enorme de ser feliz ao seu lado
e hoje, agora, vai se tornar amanha
e eterno.
-Te desejo, muito.
(Diálogo)

quarta-feira, 2 de março de 2011

Errando

Hoje eu escrevi um poema
Mas ele desapareceu
Tipo, as letras ainda estavam lá
as rimas ainda estavam lá
Mas a alma do poema morreu
Daí eu escrevi uma canção
que logo depois perdeu a melodia
Sabe, as letras ainda estavam lá escritas
as rimas tambem continuavam lá
Mas o ritmo, ah o ritmo não iludia
não persuadia
e ler a canção apenas me feria
Num rascunho,então, debochei de mim mesmo
sorrindo e, claro, ironizando
Eu não sabia fazer nada
Nunca soube...
E assim descobri que é desse jeito que eu aprendo,
errando

Um Olho e uma Porta

E você, sozinho, não derrama uma lágrima sequer
Eis que você descobre que sua lágrima é a chave da única porta que lhe resta
Por isso você a esconde
Você a seca
Não, você não chora
A lágrima, meu caro, é a chave da porta da sua alma
Portanto, a chave da porta da sua liberdade.
Cuide bem dos seus olhos...
Cuide bem de suas portas.
Jogos
Contador de Visitas